Novo vírus sofisticado é capaz de atingir Windows, macOS e Linux

  • 30 de Janeiro de 2018
  • por
  • 0 comentário

Um novo vírus, apelidado de CrossRAT, está sendo usado para espionagem e tem chamado a atenção de pesquisadores de segurança digital. A praga virtual foi descoberta na última semana e traz como característica principal ser multiplataforma: o malware pode afetar computadores com Windows, macOS, Linux e até máquinas com Solaris, o sistema operacional desenvolvido pela Oracle.

O CrossRAT, quando presente em um PC, permita a um hacker mal intencionado enviar comandos remotos à máquina e obter informações sigilosas dos usuários.

CrossRAT é multiplataforma e age como um espião (Foto: Arte/TechTudo)CrossRAT é multiplataforma e age como um espião (Foto: Arte/TechTudo)CrossRAT é multiplataforma e age como um espião (Foto: Arte/TechTudo)

O malware se espalha na Internet por meio de práticas simples de engenharia social. Postagens com uma URL maliciosa que levam o usuário a instalar o malware têm sido encontradas em grupos no Facebook e WhatsApp.

O vírus é construído em Java e, uma vez presente no computador, faz uma varredura completa na máquina. Ele consegue identificar o kernel, camada mais básica que faz a integração do sistema com o hardware, e o tipo de arquitetura. O objetivo é fazer a instalação específica do programa de acordo com cada software. O CrossRAT é tão sofisticado que consegue vasculhar o systemmd do Linux para identificar qual é a distribuição do sistema (Centos, Debian, Kali Linux, Fedora etc).

O trojan permite ao hacker enviar comandos ao computador e, assim, ativar a espionagem do sistema. De forma remota, o criminoso poderia tirar prints da tela, manipular os arquivos e executar programas. Além disso, o CrossRAT tem um keylogger embutido, software que grava o que é digitado no computador. No entanto, pesquisadores que analisaram o vírus não encontraram uma forma de ativar essa última ferramenta.

Antivírus podem identificar

De acordo com o site The Hacker News, computadores com Windows e Linux estão mais suscetíveis a serem infectados. Isso porque, como o vírus é construído em Java, é necessário que o usuário tenha este software no computador. Os dois sistemas operacionais já trazem uma versão pré-instalada do Java, enquanto no macOS seria necessário fazer o download.

O arquivo hmar6.jar é o executável que instala o CrossRAT. Segundo o site VirusTotal, 23 dos 58 antivírus mais populares já conseguem detectar o malware. Outros bem conhecidos como o Malwarebytes, Panda e Tencent ainda não identificam o CrossRAT.

Como saber se um PC está infectado?

No Windows:

Abra o regedit (registro do sistema) e:

  • Verifique a chave de registro ‘HKCU \ Software \ Microsoft \ Windows \ CurrentVersion \ Run \’.
  • Se infectado, haverá um comando que inclui java, -jar e mediamgrs.jar.

No Linux:

  • Verifique o arquivo Java, mediamgrs.jar, em / usr / var.
  • Procure também um arquivo ‘autostart’ no ~/.config/autostart provavelmente chamado mediamgrs.desktop.

No macOS:

  • Verifique o arquivo Java, mediamgrs.jar, em ~ /Library.
  • Procure também por mediamgrs.plist. em /Library /LaunchAgents ou ~/Library /LaunchAgents

Como se proteger?

 

Ter um antivírus pode ajudar a evitar a instalação deste tipo de arquivo, já que o programa vai identificar o executável malicioso. No entanto, a melhor prática é evitar abrir links desconhecidos. Desconfie de qualquer URL enviada por e-mail, aplicativos de mensagens ou rede social, até mesmo em mensagens enviadas por amigos de confiança.