Por que migrar para uma solução Cloud?

A tecnologia da informação vive há alguns anos uma nova realidade: a Computação em Nuvem. Hoje, afirmar que todo mundo em algum momento usa a Nuvem para…

Cloud

A tecnologia da informação vive há alguns anos uma nova realidade: a Computação em Nuvem. Hoje, afirmar que todo mundo em algum momento usa a Nuvem para se conectar a algum serviço faz parte da mais pura certeza.

Embora haja bastante aderência à utilização de serviços em Nuvem, como o Dropbox, por exemplo, algumas empresas ainda possuem dúvidas sobre qual o melhor momento e como fazer a migração de servidores para um ambiente Cloud. Se este é o seu caso, confira nossas dicas.

Qual é a hora de migrar?

Imagine o seguinte cenário: por razões históricas ou mesmo financeiras, sua empresa mantém seu Data Center em suas próprias instalações. Isso envolve investimentos recorrentes em hardware, licenças de software, energia, mão de obra qualificada, além de ocupar espaço.

Esses gastos tendem a aumentar em um momento de expansão da empresa. Nesse momento, vale a pena refletir sobre qual seria a melhor opção entre manter essas instalações próprias ou migrar para uma solução em Nuvem.

Entre os fatores a se considerar estão o investimento necessário para manter uma estrutura física em comparação com a Nuvem, a facilidade de adequar o Data Center em caso de uma nova expansão, a segurança dos dados e redução de riscos, como queda de energia e conexão. Após essa análise, caso você perceba que será necessário investir um valor muito alto para ter a sua própria estrutura, é porque chegou o momento de migrar para uma solução Cloud.

Vantagens

Terceirizar as instalações do Data Center representa economia de espaço e energia, além de outras listadas nos exemplos abaixo:

Segurança

Acidentes com equipamentos ou sistemas em infraestrutura física podem acontecer a qualquer momento, mas essa não é uma preocupação quando se fala em computação em nuvem, pois os dados estarão disponíveis independentemente do lugar e equipamento de acesso.
A realização de backups e o processo de recuperação de dados é mais simples, pois os arquivos e aplicações passam a residir na Nuvem. Há casos de empresas que utilizam ambientes Cloud como backup de seus servidores físicos devido aos processos confiáveis para acessar e recuperar as informações.
O acesso aos dados é mantido seguro por conta dos firewalls e VPNs, diminuindo muito o risco de perder alguma informação em possíveis ataques à sua estrutura.

Economia de espaço e energia

Na Nuvem a preocupação com o hardware praticamente desaparece, pois em vez de trabalhar pensando em uma ou mais máquinas, começa-se a analisar o pool de recursos utilizados. Com isso, a necessidade de investimento em servidores exclusivos para determinadas aplicações, a contratação e atualização de softwares, atualização e manutenção das máquinas pode reduzir significativamente. E essa economia pode ser revertida para outros setores da sua empresa.

Por não ter a necessidade de grandes hardwares instalados, o espaço físico de sua empresa pode ser reaproveitado e reorganizado. Isso pode refletir também na economia de energia para refrigeração do ambiente de armazenamento e alimentação dos servidores.

Precisa ampliar sua capacidade?

Uma das vantagens de utilizar uma solução Cloud é que sua empresa não terá que investir em mais servidores e espaço físico para ampliar sua capacidade de armazenamento, basta entrar em contato com seu provedor de serviço e solicitar a alteração.

Isso é possível graças à escalabilidade, que é uma qualidade inerente aos ambientes em Nuvem. Nesse tipo de ambiente, você paga apenas pelas aplicações e armazenamento que precisa. Quando há necessidade, novas instâncias de Nuvem são construídas automaticamente, a partir do reajuste no plano contratado. E isso ocorre graças à elasticidade, que permite que seus servidores possam escalar para se adaptarem ao seu sistema.

O mesmo vale para a renovação das licenças. Quando se contrata um serviço de IaaS (em português, Infraestrutura como Serviço), a manutenção das máquinas e renovação de licenças de softwares passam a ser responsabilidade da empresa contratada.

 

Fonte: Cloud21